Peemedebista é preso distribuindo cesta básica em troca de voto

O presidente do diretório do PMDB de Bálsamo, o empresário Edson Garcia Lima, 49 anos, dono do Frigorífico Ouroeste, foi preso em flagrante na noite de ontem distribuindo cestas básicas em troca de votos na periferia de Bálsamo, a 464 quilômetros a Noroeste da Capital, na região de São José do Rio Preto. Ele apóia o candidato a prefeito João Carlos (PL). Lima, que está preso na cadeia pública de Mirassol, foi detido por investigadores da Polícia Civil após entregar uma cesta básica ao trabalhador rural Pedro Antônio, 59 anos, e recolher números do título de eleitor dele, da mulher e de duas filhas. Antônio também está detido em Mirassol.Segundo o delegado de Bálsamo, Alceu Oliveira Júnior, Antônio confessou que estava vendendo os votos em troca de cestas básicas (uma delas apreendida pela polícia em sua casa). Já o empresário, disse ter entregue a cesta por caridade.De acordo com o delegado, a denúncia da distribuição de cesta em troca de votos partiu de militantes do candidato a prefeito José Pântano (PSB), opositor de João Carlos. Segundo ele, três pessoas ouvidas na noite de terça-feira confirmaram a compra dos votos.O advogado Osmar Honorato Alves, que defende o empresário, não foi localizado para informar se vai entrar com pedido de habeas-corpus para libertar seu cliente.Nos últimos quatro dias, seis pessoas foram presas acusadas de comprar votos de eleitores na região de Rio Preto. No sábado, o prefeito de Onda Verde, João Batista Alves (PTB), o João Batata, e sua mulher, Roseli Aparecida Ribeiro Alves, foram presos em flagrante distribuindo tíquetes combustíveis para abastecer carros de eleitores com dinheiro da prefeitura. Os dois foram soltos na segunda-feira por meio de habeas-corpus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.