Peemedebista ataca PT por defender fim do Senado

O senador Pedro Simon também volta a defender a saída do presidente da Casa, Renan Calheiros

Agência Estado

14 de setembro de 2007 | 15h19

Na sessão desta sexta-feira,14,  do Senado, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) após defender a saída de Renan Calheiros da presidência da casa, disse que faltou sensibilidade para se enxergar, e salientou que o senador Jarbas Vasconcellos (PMDB), não quer ser candidato à presidência do Senado e rejeitaria o seu nome para este posto, pois não queremos dar a impressão que vamos aproveitar do momento.  "Não estamos querendo aproveitar do momento, mas sim buscar a melhoria da imagem do Senado", disse. Ele também condenou o presidente do PT, Ricardo Berzoini, por ter apresentado no Congresso do PT, uma proposta para se lutar pelo fim do Senado.  "Ora, se temos aqui três senadores do Piauí, na Câmara temos 87 deputados de São Paulo. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, tomariam conta da situação", disse Pedro Simon (PMDB-RS_). O senador Heráclio Fortes (DEM-PI) disse que a reunião do PT foi um verdadeiro febeapá (festival de besteira que assola o País), um livro do jornalista Sergio Porto (Stanilaw Ponte Preta), em que narra fatos engraçados.

Mais conteúdo sobre:
Caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.