Peemedebista afirma que Barbosa 'agiu como preto'

Apesar do comentário racista, o STF afirmou que o ministro não irá tomar providências porque o autor se retratou do comentário

Valmar Hupsel Filho, O Estado de S. Paulo

24 de julho de 2013 | 20h37

Um comentário de conteúdo racista, feito por um filiado ao PMDB de Goiás sobre o ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, tem gerado repercussão nas redes sociais. Ao comentar o fato de Barbosa não ter cumprimentado a presidente Dilma na cerimônia de recepção ao Papa, na última segunda-feira, 22, o ex-secretário do PMDB de Goiás, Kid Neto, escreveu que ele 'age como preto'.

O post publicado às 15h52 do mesmo dia 22. Kid Neto escreveu, referindo-se a Barbosa: "E pensar que Lula o nomeou por ser negro, principal atributo de sua ascensão ao STF, agora age como preto".

A imediata repercussão negativa do comentário fez com que o autor o apagasse de sua página. A tela com o post, no entanto, foi copiada, replicada e recebeu severas críticas de usuários do Twitter e do Facebook.

Kid Neto, que se apresenta no seu perfil como diretor da FUG-GO (Faculdade União dos Goyases), tentou se retratar, também pelo Twitter. Em pelo menos doze posts, publicados na tarde desta quarta-feira, 24, ele pede desculpas a Joaquim Barbosa e ao PMDB, e diz que aceita "também de forma humilde, todas as críticas a mim lançadas".

"Quero utilizar este espaço público para uma retratação, pessoal e irrestrita", escreveu ele às 15 horas desta quarta.

O STF informou, por meio de sua assessoria, que o presidente da Corte viu necessidade de abertura de processo porque Kid Neto se retratou. Em nota divulgada na tarde desta quarta, o Supremo nega que Barbosa tenha sido descortês com Dilma na cerimônia, e informa que o ministro já havia cumprimentado a presidente naquele dia.

O PMDB-GO divulgou nota afirmando que "deixa claro a sua posição contrária a qualquer tipo de ato de racismo e acredita que este também seja o pensamento de Kid Neto, que expressou no Twitter, de forma infeliz, a sua opinião, já tendo, inclusive, explicando-se publicamente".

O partido enfatizou postura de luta pela cidadania e defesa da igualdade entre todos os brasileiros. "O PMDB considera inaceitável qualquer tipo de conduta que viole a igualdade entre gêneros, raça, credo ou que coloque em risco os Direitos Humanos", afirmou o partido.

Kid neto não foi localizado pelo Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
Joaquim BarbosaSTFDilmaPaparacismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.