Pedro Piva se despede do Senado

O senador Pedro Piva (PSDB-SP) se despediu nesta terça do mandato que exerceu durante cinco anos e dois meses e que na próxima quinta-feira será retomado pelo pré-candidato à Presidência do PSDB, José Serra. Serra volta ao Senado, como titular da vaga, após se ausentar duas vezes: no início de 1995, para ocupar o Ministério do Planejamento, onde ficou até junho do ano seguinte, e em abril de 1998, quando assumiu o Ministério da Saúde, que agora está deixando para se dedicar à campanha.O desempenho do suplente Pedro Piva foi elogiado em plenário por senadores de todos os partidos. Eles se referiram à sua cordialidade e à forma elegante como se comportou no meio político, mesmo não sendo originário do meio. ?Vossa Excelência é um homem de bem, é um homem puro, de caráter, é um homem de bem com a vida?, declarou o senador Pedro Simon (PMDB-RS).Uma das lembranças que Piva deixará no Senado é a de tratar as pessoas com as quais lida, do porteiro à mais alta autoridade, pelo nome. Ele disputará a indicação do PSDB para uma das vagas de senador, dessa vez na cabeça da chapa e não como suplente. A senadora Heloisa Helena (PT-AL) disse que não poderia lhe desejar boa sorte eleitoralmente, porque isso implicaria prejuízo para seus aliados em São Paulo. Mas foi calorosa ao homenageá-lo, lembrando que sempre recebeu dele um tratamento ?carinhoso e respeitoso?.?Fica aqui um beijo do coração pela forma como estivemos juntos, mesmo diante do abismo ideológico existente entre nós?, felicitou a senadora. As homenagens a Piva, durante a sua despedida, se prolongaram durante toda a sessão.Foram acompanhadas, no plenário, pelo deputado Delfim Netto (PPB-SP) e por parlamentares do PSDB, entre eles o presidente do partido, deputado José Aníbal, o secretário-geral, deputado Márcio Fortes (RJ), e a deputada Zulaiê Cobra (SP). Olhado com desconfiança quando chegou ao Senado, o empresário Pedro Piva ganhou a consideração dos colegas ao centralizar sua atuação em temas econômicos e sociais do País.É de sua autoria a lei que destina parte dos recursos da arrecadação das loterias federais para o desenvolvimento do esporte olímpico e paraolímpico e inúmeros pareceres sobre o refinanciamento das dívidas de Estados e municípios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.