Pedreiro matou a fonoaudióloga, diz delegado

O titular da Delegacia de Homicídios, Paulo Passos, disse hoje estar convencido de que foi o pedreiro Alan Marques da Costa o assassino da fonoaudióloga Márcia Maria Lopes Coelho Lira e o autor da tentativa de assassinato da menina P., de 13 anos, no assalto contra a casa em que moravam, em Santa Teresa, no Centro, na semana passada. O policial baseou-se no depoimento de cerca de cinco horas da adolescente, na noite de sexta-feira, e afirmou que um exame de DNA será realizado para saber se ele também participou do estupro sofrido por ambas. "Ele estava enrolado e, agora, está mais um pouquinho", disse Passos.Segundo a menor, apesar de ter ficado de bruços, sobre a cama, e não poder ver o rosto de Alan, ele foi autor dos golpes de facão que mataram sua mãe e a feriram na nuca, pois reconheceu sua voz. Ela afirmou que os golpes aconteceram ao mesmo tempo em que o outro assaltante, Marcelo Gonçalves dos Santos, estava na frente da casa atirando contra o ex-cunhado e vizinho de Márcia, Evandro da Costa Queiroz, que tentava entrar na casa para ver o que acontecia. O terceiro participante do assalto havia saído, com cartões bancários, para sacar dinheiro da fonoaudióloga.A menina acusou Marcelo Gonçalves dos Santos, depois encontrado enforcado na prisão, de tê-la estuprado e também à sua mãe. Por estar de bruços, a garota não pôde confirmar se Alan também a atacou sexualmente, o que motivou a realização do exame de DNA. O delegado informou que a menina esteve acompanhada de um policial formado em psicologia durante o depoimento. A Polícia espera capturar o terceiro assaltante até a próxima terça-feira. Passos disse que, por não ter participado do estupro, ele responderá pelo assalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.