Pedido habeas-corpus para Bové

Os advogados do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) entraram com um pedido de habeas-corpus no Tribunal Regional Federal de Porto Alegre contra a notificação apresentada, na noite de ontem, ao ativista francês José Bové. A Polícia Federal fixou um prazo de 24 horas para que Bové deixe o País, sob ameaça de deportação. O líder do MST, João Pedro Stédile, disse que o tribunal deve se manifestar até às 14 horas. Se o pedido for negado, ele informou que entrará com recurso no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. Pela notificação, Bové precisa deixar o País até a meia-noite de hoje.A princípio, ele só viajaria na noite de amanhã. Na cerimônia de encerramento do Fórum Mundial Social, que terminou hoje, Bové foi aclamado por milhares de pessoas que gritavam slogans de solidariedade como "Bové é meu amigo. Quem mexe com ele, mexe comigo". Além disso, uma faixa com a inscrição "Somos todos Bové" foi exibida no palanque da solenidade, pela coordenação do evento. Stédile atribuiu a notificação a Bové como uma "reação da direita", que teria ficado profundamente incomodada com a repercussão internacional do Fórum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.