Pedido de vista adia votação de processo contra Wanderval

A votação do processo de cassação do deputado Wanderval Santos (PL-SP) no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar foi adiada para sexta-feira. O deputado José Carlos Araújo (PL-BA), que exerce a função de suplente no conselho, pediu vista do processo por duas sessões plenárias. Diante do pedido, o presidente do conselho, deputado Ricardo Izar (PTB-SP), convocou nova reunião para votação do parecer do relator Chico Alencar (Psol-RJ). A reunião está prevista para as 9h30 de sexta-feira. Chico Alencar apresentou seu voto no Conselho de Ética. Porém, José Carlos Araújo argumentou que teria dificuldades em se decidir caso fosse votar. O suplente não está convencido de que Wanderval Santos tenha cometido algum ato que exija a pena máxima, que é a cassação do mandato.Antes de Araújo, o deputado Nelson Trad (PMDB-MS), integrante do conselho, comentou o parecer e o voto de Chico Alencar. Trad afirmou que o voto foi correto e que o algoz de Wanderval foi o ex-deputado Carlos Rodrigues.Wanderval Santos é acusado de recebimento de dinheiro das contas do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O processo contra o parlamentar foi aberto depois que a CPMI dos Correios divulgou que o motorista dele, Célio Marcos Siqueira, sacou R$ 150 mil das contas de Valério na agência do Banco Rural em Brasília. Wanderval explicou que o saque foi feito sem o seu conhecimento, a mando de Carlos Rodrigues.A reunião do conselho será retomada para continuidade do depoimento do deputado José Mentor (PT-SP). Ele também é acusado de recebimento de dinheiro do empresário Marcos Valério. Seu depoimento foi interrompido nesta tarde para leitura do parecer sobre o processo contra Wanderval. As informações são da Agência Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.