Pedido adia votação de reajuste de servidores do Senado

O plano de cargos e salários dos servidores do Senado só não foi aprovado hoje pela Mesa Diretora da Casa por conta do pedido de adiamento feito pela senadora Serys Slhessarenko (PT-MS). Os integrantes da Mesa se reuniram para discutir o tema sem sequer terem em mãos o projeto, conforme confirmou a própria integrante da Mesa, a senadora Patrícia Saboya (PDT-CE), quarta secretária da Casa.

ANA PAULA SCINOCCA, Agência Estado

09 de junho de 2010 | 17h33

O reajuste deve gerar impacto de 9,82%, quase R$ 170 milhões, na folha de pagamento da Casa neste ano. Um dos salários mais altos, o de consultor, hoje em média na casa dos R$ 14 mil, deve subir para R$ 22 mil.

O reajuste de cargos e salários do Senado vem sendo guardado a sete chaves. Hoje, depois da reunião da Mesa, o primeiro-secretário, Heráclito Fortes (DEM-PI), se recusou a falar sobre o tema.

A pressão dos servidores para que o plano seja votado é grande, segundo admitem os próprios senadores. Depois de aceito pela Mesa, o reajuste será apreciado pelo Plenário.

Reajuste semelhante para os servidores da Câmara passou no Senado no meio da votação do projeto "Ficha Limpa". Se aprovado, o reajuste terá impacto ainda maior em 2011: 12%.

Tudo o que sabemos sobre:
Senadoreajusteservidoresvotação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.