Pedem-se Pradas ou Armanis com pouco uso como donativo

Tragam seus Armanis de seda, as camisas Hugo Boss e os ternos com paletós de três botões da Prada. A American League of Lobbyists está pedindo a seus membros para tirarem a camisa - ou terno, cinto e gravata ? do corpo, literalmente, para doá-la a pessoas que necessitem estar apresentáveis para entrevistas de trabalho e tentando melhor suas imagens.?Você pode ajudar americanos a voltar a trabalhar!?, diz a liga em seu panfleto promovendo o programa. ?Esta é a sua oportunidade de tirar a camisa do cabide para ajudar um companheiro americano a assegurar seu futuro.?Donativos de vestuário de trabalho ?ligeiramente usado? são dedutíveis do imposto de renda e serão usados por grupos que fornecem roupas e acessórios a trabalhadores de baixa renda à procura de emprego.Cerca de 2.900 organizações e 30.000 pessoas individualmente estão registradas como lobistas no Congresso e agências governamentais em benefício de seus clientes. A American League of Lobbyists tem cerca de 600 membros. Freqüentemente, lobistas são figuras controversas, vistas pelos críticos como representantes dos interesses das grandes corporações às custas do público. Deanna Gelak, presidente da liga, diz que a organização está redobrando seus esforços este ano, em seu 25º aniversário, para fazer com que o público entenda a profissão.?O modo de mudar o cinismo é através de ações sinceras e é isto que nosso programa é?, afirma.O apelo por roupas usadas provocou um certo escárnio, em Washington.?Você vai doar algum par de sapato Gucci? Esta é uma boa pergunta?, espicaça Kent Cooper, um dos fundadores da Political Money Line, que levanta fundos para campanhas, ao ser informado pelo jornalista da AP sobre o programa de doações. ?E os repórteres? Podem candidatar-se a esses ternos??

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.