Pedágio na Dutra sobe 8,89%

Os pedágios cobrados pela concessionária Nova Dutra no trecho Rio-São Paulo ficarão 8,89% mais caros. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) autorizou nesta sexta-feira o reajuste, que somente entrará em vigor a partir da publicação da portaria no Diário Oficial. A tarifa mais baixa na tabela é de R$ 1,10, a ser cobrada dos motoqueiros, e a mais alta será de R$ 29,40 para caminhões com seis eixos. Dependendo da praça de cobrança do pedágio, o motociclista pagará de R$ 1,10 a R$ 2,45 para prosseguir viagem. A tarifa mais barata para carros de passeio será de R$ 2,20 e a mais cara, R$ 4,90. Se o automóvel tiver reboque, o pedágio irá variar de R$ 4,40 a R$ 9,80. O valor do pedágio será mais pesado para os caminhoneiros. O preço é mais caro de acordo com a praça de cobrança do pedágio e tipo de veículo. O dono de um caminhão de quatro eixos pagará R$ 8,80, na praça de Jacareí, ou R$ 19,60, se cruzar pelas praças de Moreira Cesar, Itatiaia e Viúva Graça. Se o caminhão tiver seis eixos o preço será, respectivamente, de R$ 13,20 e de R$ 29,40.O reajuste autorizado ontem é superior aos 7,14%, concedidos ano passado pela ANTT. Segundo a agência, o fator que mais contribuiu para a elevação do reajuste foi o aumento dos preços dos derivados de petróleo, cotados em dólar, como o asfalto. Para fixar o porcentual, a agência considera a variação de custos, nos últimos doze meses, de quatro itens: terraplanagem, pavimentação, obras e serviços de consultoria. A partir deste ano, a concessionária não pode mais incluir no cálculo dos reajustes o valor referente ao Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza. Por determinação do Tribunal de Contas da União este item foi excluído das contas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.