TRF3/Reprodução
TRF3/Reprodução

'Peça perdão e recolha-se à insignificância dos medíocres', diz desembargadora a Arthur do Val

Marisa Santos toma posse na presidência do TRF-3 com forte discurso contra a misoginia

Julia Affonso, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2022 | 22h32

BRASÍLIA - A desembargadora Marisa Santos tomou posse nesta terça-feira, 8, como presidente do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região com um forte discurso contra a misoginia. No Dia Internacional da Mulher, a magistrada criticou duramente o deputado Arthur do Val (sem partido), conhecido como “Mamãe Falei”, que fez declarações depreciativas contra mulheres ucranianas.

“Peça perdão à sua mãe, peça perdão por desonrar um dos poderes da República, peça perdão por desonrar a República e depois recolha-se à insignificância dos medíocres”, afirmou a magistrada.

O discurso durou cerca de meia hora. Foi no fim do pronunciamento que a nova presidente do TRF-3 citou “as lamentáveis declarações de certo parlamentar sobre mulheres ucranianas no meio da guerra”, numa referência a Arthur do Val.

Em viagem à Europa para acompanhar o conflito e sob o pretexto de ajudar o lado atacado pela Rússia, o deputado enviou áudios a amigos dizendo que as ucranianas são “fáceis porque são pobres”.

“Vou te dizer, são fáceis, porque elas são pobres. E aqui minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas ‘minas’, em dois grupos de ‘mina’, e é inacreditável a facilidade”, disse o deputado.

Nesta terça, 8, o Podemos, que era o partido de Arthur do Val, confirmou a desfiliação dele. O comunicado da sigla destacou a pressão da Executiva Nacional e de lideranças políticas que pediam a saída do deputado.

Discurso

Em outro trecho de seu discurso, a presidente do TRF-3 disse que “não há nada de inédito” em ter uma mulher na presidência. “Já tivemos outras cinco”, constatou.

Segundo a magistrada, o que preocupa é a situação das mulheres que não tiveram as mesmas oportunidades “de estudar, de decidir os rumos de sua vida, de escolher a profissão, de escolher casar ou não, de escolher ou não ter filhos”.

“Misóginos, racistas, homofóbicos, transfóbicas, xenófobos, intolerantes religiosos estão aí exibindo-se todos os dias”, observou ela.

O TRF-3 tem sede em São Paulo e jurisdição no Estado e também no Mato Grosso do Sul. Participaram da cerimônia a procuradora-geral do Estado de São Paulo, Maria Lia Corona, o advogado-geral da União, Bruno Bianco Leal, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, o senador Nelsinho Trad (PSD-MS) e o presidente do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins.

A nova presidente assume o cargo para o biênio 2022-2024. Marisa Ferreira dos Santos é bacharel em Direito pela Universidade de São Paulo (USP-1978) e mestre em Direito Previdenciário pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP-2001). Foi procuradora do Estado de São Paulo (1984-1987). Magistrada desde 1988, foi promovida ao TRF3 em 2002 e ocupa, desde 2020, o cargo de corregedora-regional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.