PDT tentará manter vice de Eduardo Campos no partido

Presidente da sigla, Carlos Lupi, afirmou que vai procurar João Lyra Neto para tratar de decisão de migrar para o PSB, do governador de PE

Erich Decat - Agência Estado

28 de maio de 2013 | 12h46

Brasília - O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse nesta terça-feira, 28, que pretende procurar o vice-governador de Pernambuco, João Lyra Neto, para tentar mantê-lo no partido. Na tarde dessa segunda, 27, o o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, anunciou que Neto vai deixar o PDT e se filiar ao partido.

 

A ida do vice para o PSB deve ocorrer até setembro e seria uma forma de Campos assegurar um palanque no Estado para seu projeto presidencial. A mudança de partido também seria de interesse do Neto, que não descarta ser o sucessor de Campos no governo e enfrenta desgastes com a cúpula do PDT no Estado.

 

"O que passa na cabeça dele são esse três pontos: incompatibilidade com o PDT local, uma possível candidatura ao governo e o fato de o PDT ainda não ter definido se ficará na base aliada do governo Dilma em 2014", disse Lupi.

 

"Desde dezembro ficamos de conversar, mas ele não nos procurou mais. Vou procurá-lo para tentar mantê-lo no partido. Se ele já conciliou os atritos no Estado até aqui por que sair agora?", acrescentou o dirigente.

 

São Paulo. O PDT pretende oficializar no próximo dia 16, em Guarulhos, o lançamento de um candidato ao governo de São Paulo, o maior colégio eleitoral do País.

 

O nome escolhido pela cúpula da legenda é o do deputado estadual Major Olímpio Gomes (PDT-SP). "É para valer. E teremos um candidato que atua na área da segurança, um dos principais problemas hoje da gestão Alckmin", disse Lupi.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
PDTLupiLyra Neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.