PDT negocia apoio com Marta à Prefeitura de SP

Acordo, prestes a ser fechado, desmonta a união do bloquinho, formado por PC do B, PSB e PDT

AE, Agencia Estado

05 de junho de 2008 | 09h56

O jantar de despedida de Marta Suplicy no Ministério do Turismo, na terça-feira, serviu para escancarar as articulações de bastidor do PDT, que negocia o apoio à candidata do PT à Prefeitura de São Paulo. O acordo, prestes a ser fechado, desmonta a união do bloquinho, formado por PC do B, PSB e PDT.Ao chegar à festa de Marta, em Brasília, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi - que é presidente licenciado do PDT -, não deixou dúvidas sobre a aliança. ?Você é nossa candidata!?, exclamou, abraçando a petista. ?Perdemos uma ministra, mas ganhamos uma prefeita.?A manifestação de Lupi indica que não há consenso no bloquinho em torno da candidatura do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP) à Prefeitura. Abalado com a crise que envolve o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o partido procura uma alternativa política para se recompor em São Paulo.No jantar, petistas garantiam que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamará Aldo para uma conversa. Com dificuldades para montar coligação, a cúpula do PT quer que o deputado desista do páreo para ser vice de Marta e continua tentando atrair o PSB. Aldo, porém, jura que se manterá na disputa: ?Vou até o fim.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições municipais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.