PDT e PTB aprovam possível união Ciro-Itamar

O anúncio de que o governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), poderia abrir mão de disputar a Presidência da República para se unir, como provável candidato a vice, ao pré-candidato à presidência da República pelo PPS, Ciro Gomes, foi recebido com aplausos entre parlamentares.O PDT comemorou a união e, nesta quinta-feira, na convenção do partido, em Brasília, Itamar e Ciro serão "convidados de honra", conforme convite distribuído pelo partido. Alguns líderes partidários da base governista não quiseram comentar a provável união. O PTB, contudo, não só comentou como acenou com a possibilidade de apoiar a união Ciro-Itamar."Essa é uma dobradinha poderosa que aplaudimos de pé", afirmou o líder do PTB na Câmara, deputado Roberto Jefferson (RJ).Segundo ele, como o partido não tem nenhum nome para uma candidatura própria à Presidência da República, as conversas com os partidos "estão abertas". A convenção do partido será em maio do ano que vem. Para o líder do PT na Câmara, deputado Walter Pinheiro (BA), a união anunciada entre Itamar e Ciro é uma "movimentação lícita" pré-eleitoral. "Na próxima semana o PT também vai se reunir com os líderes do PPS na Câmara e no Senado para estreitar a possibilidade de alianças", revelou.Para o deputado, o nome de Itamar é um nome interessante numa eventual aliança das oposições. "O governador mineiro tem tido uma postura coerente em oposição ao governo federal", constatou. O líder do PPS na Câmara, deputado Rubem Bueno (PR), considera que, agora, com o aceno de Itamar de que poderia desistir de ser cabeça de chapa e se unir a Ciro, a questão será transferida para discussões internas do PMDB."O partido de Itamar é que terá de definir a possibilidade de ter um vice e não um candidato à Presidência, que já está definida no PPS".Para ele, a união deverá "dar trabalho" ao governo federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.