PDT e PPS elogiam postura de Mercadante

O líder do PPS no Senado, senador Paulo Hartung (ES), disse que as propostas de Mercadante em defesa da estabilidade monetária e responsabilidade fiscal "é o retrato de uma nova oposição que, diante da possibilidade de chegar ao poder, precisa sinalizar para o mercado a sua política fiscal e a plataforma de governo."Hartung, parlamentares do PDT e do PT elogiaram a iniciativa de Mercadante, de pregar uma agenda mínima dos partidos de esquerda em torno da continuidade das diretrizes econômicas. "A oposição tem de mostrar o seu projeto, até para que, em caso de vitória de um candidato de esquerda, o mercado não cobre um preço alto que desorganize as finanças do País", afirmou Hartung, que defende uma aliança dos partidos de centro-esquerda numa chapa com o ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes, candidato à Presidência.Para sinalizar que o PT está preocupado em discutir um projeto econômico, a bancada do partido deve se reunir na terça-feira para analisar pontos considerados polêmicos, entre os quais a manutenção da CPMF.Para o deputado Paulo Delgado (PT-MG), pertencente à ala de centro do PT, o País tem problemas de competitividade e vulnerabilidade, mas as modificações por um suposto governo do PT deverão ocorrer de forma "tímida" para manter a condução da atual política econômica.A cobrança da CPMF já vem sendo defendida pela ala moderada do PT e por outros integrantes de partidos de esquerda. "Sempre fui favorável à continuidade da CPMF (a cobrança deve acabar no ano que vem), porque avalio que esse é um imposto cuja a sonegação é impossível de ocorrer", declarou o senador Jefferson Péres (PDT-AM). Segundo o pedetista, as declarações de Mercadante são um sinal de que a oposição assumiu uma "crítica responsável ao governo".O presidente nacional do PPS, senador Roberto Freire (PE), também elogiou o petista argumentando que sua iniciativa em torno da "agenda mínima da oposição" tem ampla aceitação em seu partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.