PDT deve buscar alternativa a Dilma em 2014, diz Paulinho da Força

No entanto, deputado não revelou se prefere Eduardo Campos, Aécio Neves ou Marina Silva

RENAN CARREIRA, Agência Estado

26 de março de 2013 | 11h32

SÃO PAULO - O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, disse nesta terça-feira, 26, que seu partido deve discutir uma alternativa para a disputa presidencial em 2014. "Com a presidente Dilma Rousseff, que não atendeu e não atende os trabalhadores, nós não deveríamos continuar. Vou defender isso dentro do partido", disse. "Se a Dilma continuar com essa intransigência com os trabalhadores, nós deveríamos sair do governo (para 2014)", afirmou. Para ele, contudo, o PDT deve continuar na base aliada do governo Dilma.

Paulinho preferiu não responder se isso significaria uma inclinação favorável à eventual candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). "Tem três candidaturas viáveis: o Eduardo Campos, o Aécio (Neves, PSDB) e a Marina (Silva), e eu particularmente tenho uma boa relação com todos."

No caso de uma eventual candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo PT, para Paulinho, seria "outra questão". Segundo ele, alguns sindicatos trabalharão na campanha "Volta, Lula".

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, que é do PDT e tomou posse no dia 16, preferiu não responder sobre a eleição presidencial em 2014. "A eleição não está em discussão. Estamos no governo Dilma em decorrência do apoio da eleição passada. 2014 é outra discussão", disse o ministro, em visita à sede da Força Sindical em São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
ELEIÇÃO 2014PDTALTERNATIVA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.