PDT decide votar contra CPI do Apagão Aéreo

À espera de um ministério no governo Lula, a bancada do PDT decidiu votar contra a CPI do Apagão Aéreo na sessão extraordinária da Câmara, marcada para esta noite. A posição do partido foi definida em reunião nesta quarta-feira, 21. A decisão significa um recuo para a bancada que deu 19 assinaturas, do total de 23 deputados, a favor do requerimento de criação da CPI na reunião tumultuada da última terça-feira, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. O apoio inicial do PDT à criação da CPI não foi bem recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que preferiu esperar o comportamento do partido no desenrolar do caso antes de confirmar Carlos Lupi, presidente do PDT, no Ministério da Previdência Social. Para convencer os deputados a recuar, Lupi divulgou uma nota recomendando o voto contra a CPI. Após a reunião da bancada, diversos deputados que assinaram o pedido de CPI e votaram a favor da instalação da comissão em etapas anteriores argumentaram que mudariam de posição para seguir decisão partidária. Nos bastidores, no entanto, os deputados contaram que a decisão da bancada foi em solidariedade a Lupi. Os deputados reclamam que o presidente Lula tem constrangido o pedetista por ainda não tê-lo nomeado para o ministério.Já faz uma semana e meia que o governo não toca mais no assunto com o PDT. Na decisão da bancada também pesou o argumento de que o governo poderia estar esperando uma atitude de boa vontade do PDT para nomear o ministro ou, ao contrário, usar uma eventual votação a favor da CPI para não mais colocar o PDT no ministério. (Colaborou Denise Madueño)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.