PDT colhe assinaturas na Assembleia para CPI do Metrô

Segundo denúncia, resultado da licitação já era conhecido há 6 meses

Gustavo Uribe/SÃO PAULO, Agência Estado

26 de outubro de 2010 | 17h11

Os deputados do PDT na Assembleia Legislativa deram início nesta terça-feira, 26, à coleta de assinaturas para pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigue denúncia de irregularidade na licitação dos lotes 3 a 8 da Linha 5 - Lilás, do Metrô de São Paulo. A iniciativa é liderada pelo deputado estadual Major Olímpio, que diz já ter colhido 8 das 32 assinaturas necessárias para protocolar o pedido de CPI, ou seja, de um terço dos parlamentares. A coleta foi iniciada às 14 horas desta terça e a expectativa é de que a solicitação seja feita à Mesa Diretora da Casa ainda nesta semana.

 

A iniciativa de criar uma CPI para investigar o episódio é de Olímpio e, segundo ele, recebeu a aprovação do presidente do PDT-SP, deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, que cobrou uma apuração do caso. Olímpio afirmou que a denúncia mostra ter havido uma "manipulação entre empreiteiras" e ressaltou ser responsabilidade do Legislativo investigar atos do Executivo. "Se foi feita uma espécie de rateio entre amigos, isso tem de ser apurado", afirmou. O parlamentar caracterizou o episódio como "gravíssimo". "A denúncia mostra que pode ter havido conluio das empreiteiras com agentes públicos do Metrô", afirmou.

 

O governador Alberto Goldman (PSDB) determinou também nesta terça a paralisação dos contratos de licitação. A medida foi tomada após denúncia de que teria havido irregularidade no processo licitatório, já que os consórcios vencedores teriam sido escolhidos quase seis meses antes da divulgação do resultado, feita na quinta-feira. A informação foi divulgada pelo jornal "Folha de S.Paulo", que registrou em cartório no mês de abril o nome dos vencedores na disputa. No total, os sete lotes custarão em torno de R$ 4 bilhões ao governo de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.