PDT apóia Aldo e adere a bloco proposto por PSB e PCdoB

O PDT decidiu nesta terça-feira, por ampla maioria, apoiar a candidatura de Aldo Rebelo (PCdoB-SP) à presidência da Câmara. O partido aprovou também a adesão a um bloco de oito legendas para se fortalecer na Casa. O apoio do PDT a Aldo equilibra mais a disputa pela sucessão ao comando da Câmara. A decisão surpreendeu o candidato Arlindo Chinaglia (PT-SP), que mais cedo já dava como certo o apoio da bancada pedetista. Foram 20 votos a 3 a favor de Aldo e 17 a 6 para integrar o bloco partidário, proposto pelo PSB e pelo PCdoB. Se todos os partidos convidados a integrar o bloco acenarem na mesma direção, o grupo chegará a 92 deputados (soma que considera a bancada eleita na última eleição), o que lhe daria o status de maior bancada da Câmara, superando o PMDB (89), o PT (83) e o PSDB (66). Como reação, estes partidos podem juntar-se em outros blocos para evitar perda de espaço na distribuição de cargos da Casa, como postos de destaque na Mesa Diretora e presidência e relatorias de comissões permanentes. "Ficamos com a maior bancada, por enquanto. É claro que vai haver reação dos três maiores partidos, individualmente", afirmou a jornalistas o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP). O bloco partidário não está consolidado, pois algumas siglas, como o PV e o PSC, ainda discutem se querem integrá-lo. Também fariam parte do bloco o PAN, o PHS e o PMN. O prazo para a formação de blocos termina nesta quarta-feira, às 12 horas.

Agencia Estado,

30 Janeiro 2007 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.