PCdoB pode deixar o governo, diz deputado

O deputado Sérgio Miranda (PCdoB-MG) afirmou que é possível que o seu partido saia da base aliada. Segundo ele, o ministro dos esportes, Agnelo Queiroz, que é do PCdoB, não tem condições de bancar uma votação a favor da taxação dos inativos. Miranda afirmou que a bancada de 12 parlamentares ficou insatisfeita com a reunião tida recentemente com o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu. O partido, até o momento, está fechando posição contra a taxação dos inativos. Sérgio Miranda reafirmou a crítica do seu partido à proposta da reforma da Previdência porque, segundo ele, a sustentabilidade da Previdência não depende de medidas como o fim da aposentaria integral ou a contribuição dos aposentados. Um gráfico em seu poder mostra que o déficit da Previdência, segundo os critérios definidos pelo parlamentar, seria reduzido para 0,33% do PIB em 2024, de 0,95% atualmente. Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.