Divulgação
Divulgação

PCdoB indica deputada Ângela Albino para comissão que analisará medidas anticorrupção

Até o momento, 15 legendas apresentaram 19 dos 30 membros titulares; ainda faltam quatro siglas nomearem seus parlamentares: PMDB, PT, PP e PSC

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2016 | 16h25

BRASÍLIA - O PCdoB indicou, nesta terça-feira, 5, a deputada Ângela Albino (SC) para integrar a Comissão Especial da Câmara que analisará o pacote de medidas anticorrupção. Como o Broadcast revelou na noite desta segunda-feira, 4, mais de 20 dias após a criação da comissão pelo presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), alguns partidos estão segurando as nomeações. Com a indicação de Angela, ainda faltam quatro siglas sugerirem parlamentares: PMDB, PT, PP e PSC. Até o momento, 15 legendas (PTN, SD, PRB, PHS, DEM, PTB, PR, PSD, PROS, PV, PSDB, PSB, PDT, PCdoB e Rede) apresentaram 19 dos 30 membros titulares.

O projeto das "Dez Medidas contra a Corrupção" foi apresentado ao Congresso em março, por iniciativa do Ministério Público Federal (MPF) e entidades que recolheram mais de 2 milhões de assinaturas. Em junho, Maranhão autorizou a criação do colegiado. Segundo a Mesa Diretora da Casa e assessores do presidente interino, ele está aguardando todos os líderes indicarem seus representantes para dar início aos trabalhos. Técnicos das comissões especiais, contudo, dizem que o colegiado não precisaria estar completo para ser instalado um presidente e que a decisão dependeria de "vontade política".

O líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), afirmou que está aguardando a reunião dos líderes com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, marcada para a tarde desta terça, para indicar os nomes do partido. "Já tenho um monte de deputados querendo participar da comissão. Não tenho uma data, mas não tenho nenhum pedido para fazer algo diferente (da indicação). Vou ter que reunir a bancada, mas não há nenhuma resistência, pelo contrário, tenho até overbooking", completa. O encontro com Janot será fechado e está previsto para começar às 16h, na sede do MP, em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.