PC do B quer tirar contribuição dos inativos da reforma

O PC do B, partido da base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, vai tentar retirar a contribuição dos inativos da proposta de reforma previdenciária do governo. A estratégia do partido é tentar, em primeiro lugar, apresentar emenda à proposta, mas, se não houver mudança durante a tramitação nas comissões, o PC do B admite apresentar no plenário um destaque para votar esse item de forma separada, em mais uma tentativa de retirar a taxação dos inativos do texto. "Podemos chegar a um destaque no plenário, mas esperamos que isso não seja preciso", disse o líder do PC do B na Câmara, Inácio Arruda (CE). Segundo ele, o partido está trabalhando na elaboração das emendas que deverá apresentar à proposta do governo. "Vamos ver o que podemos ajudar para não criar uma situação de transformar os servidores em réus, como foi feito durante muito tempo", afirmou. "Nem o governo nem o partido podem fazer isso". O líder argumentou que, para o País ter um serviço público de qualidade, é necessário que haja estímulo para que servidores qualificados sigam a carreira. "Não podemos prejudicar os servidores públicos sob o risco de inviabilizarmos o serviço público", disse Arruda. Além dos inativos, o PC do B deve apresentar emendas tratando da previdência complementar dos servidores. Arruda ressaltou que o partido é favorável às reformas previdenciária e tributária, ressalvados alguns pontos que pretende mudar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.