Daniel Teixeira / AE 07.09.2011
Daniel Teixeira / AE 07.09.2011

Pauta social também marca o dia da Pátria

Tradicional movimento Grito dos Excluídos levou milhares de pessoas às ruas

07 de setembro de 2011 | 21h12

Em vários Estados do País as manifestações de protesto também marcaram a data de 7 de Setembro. Além de marchas contra a corrupção, o tradicional Grito dos Excluídos levou milhares de pessoas às ruas. Em sua 17ª edição, com o lema "Pela vida grita a terra... Por direitos todos nós", o ato foi programado em todas as unidades federativas.

 

 

Em São Paulo, a passeata foi protagonizada por dezenas de movimentos de luta pela moradia, sob o patrocínio da CUT e da Central de Movimentos Populares. Cerca de três mil pessoas, conforme os organizadores, participaram do ato. Os manifestantes percorreram pela manhã um trajeto de aproximadamente cinco quilômetros, da avenida Paulista até o Parque do Ibirapuera. "Estamos em busca de moradias dignas", resumiu Genílson Vieira da Silva, de 29 anos, morador da favela de Heliópolis.

 

 

Aproximadamente 200 integrantes de pastorais da Igreja Católica e militantes de movimentos sociais realizaram uma caminhada em Curitiba, numa área de favelas próxima ao centro da capital paranaense. "Hoje o Brasil inteiro celebra a Independência, que é camuflada. Ainda não vivemos essa independência. Falta educação de qualidade, falta saúde de qualidade, falta moradia de qualidade e temos corrupção demais", protestou o coordenador do movimento, Jardel Lopes. "O Brasil inteiro vive uma deficiência ao invés de uma independência.".

 

 

Um grupo de 50 pessoas, vestidas de preto e com máscaras, se reuniu em frente à Universidade Federal do Paraná em protesto contra a corrupção. Manifestações contra a corrupção foram registradas também em Porto Alegre. No Rio, o movimento anticorrupção fracassou e reuniu poucas pessoas na Cinelândia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.