Paulo Skaf desconversa sobre filiação partidária

"Tenho recebido convites de inúmeros partidos, mas a chance de eu aceitar algum, hoje, é de 50%", disse

Célia Froufe, da Agência Estado,

23 de setembro de 2009 | 16h47

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, evitou anunciar, em rápida entrevista que deu na tarde desta quarta-feira, uma definição sobre a possibilidade de se filiar a um partido político para concorrer ao governo do Estado nas eleições de 2010.

 

"Tenho recebido convites de inúmeros partidos, mas a chance de eu aceitar algum, hoje, é de 50%", disse, ao sair de um almoço na Embaixada da Suécia, em Brasília, com 20 representantes diplomáticos de países da União Europeia.

 

"Acho que a chance maior é a de eu deixar a filiação para outro momento", disse Skaf. O prazo final para a filiação partidária com o objetivo de concorrer à eleição do próximo ano acaba no dia 2 de outubro. Skaf afirmou que, mesmo que se filie, isso não significa necessariamente que vá se candidatar a algum cargo ainda em 2010.

 

"Nos próximos dias, todos saberão", disse, acrescentando que "todos os brasileiros" deveriam se filiar a algum partido para "oxigenar a democracia". O presidente da Fiesp informou que nesta tarde visitará o Congresso para cumprimentar o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), "que hoje faz aniversário." Temer é o presidente nacional do PMDB.

 

Skaf disse que aproveitará a visita ao Congresso para fazer "perguntinhas" aos parlamentares sobre a possibilidade de criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.