Paulo Rocha é outro envolvido no mensalão que se aposenta

O ex-deputado e ex-líder do PT na Câmara Paulo Rocha (PA) vai se aposentar pela Câmara. O ato do presidente da Casa, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) deverá ser publicado no Diário Oficial da próxima quarta-feira, dia 1º. Hoje foi publicada a aposentadoria do ex-líder do PMDB e ex-deputado José Borba (PR). Os dois renunciaram a seus mandatos para escapar Ro processo de cassação pelo envolvimento no esquema do mensalão. A renúncia de Rocha ocorreu na véspera de ser instaurado processo contra ele no Conselho de Ética da Câmara. Segundo a CPI dos Correios, o ex-líder petista recebeu R$ 420 mil de contas do empresário mineiro Marcos Valério Fernandes de Souza, considerado operador do mensalão, e admitiu ter recebido dinheiro para pagamento de contas de campanha no Pará.Enquanto Borba terá direito a uma aposentadoria em torno de R$ 5.500,00, Rocha deverá receber apenas em torno de R$ 4.300,00. O cálculo é feito de acordo com o valor e o tempo de contribuição para o extinto Instituto de Previdência dos Congressistas (IPC), extinto em 1999, e o atual Plano de Previdência Social do Congressistas.Além dos dois parlamentares, também o ex-presidente do PTB, Roberto Jefferson (RJ), cassado, e o presidente do PL, ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP), que renunciou ao mandato para fugir à cassação, já se aposentaram pela Câmara, depois de envolvimento no esquema do mensalão. O ex-presidente do PT e ex-deputado José Genoino (SP), que teve de deixar a direção do partido após os escândalos financeiros envolvendo o ex-tesoureiro do PT em sua gestão, Delúbio Soares, também já se aposentou pela Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.