Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Paulo Roberto Costa alega problemas de saúde e CPI da Petrobrás cancela acareação com Youssef

Ex-diretor da Petrobrás apresentou atestado médico e comissão agora tenta marcar para a próxima quinta depoimento de outros delatores, como o empresário Milton Pascowitch ou o empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC

DAIENE CARDOSO E DANIEL CARVALHO, Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2015 | 14h33

Brasília - A CPI da Petrobrás cancelou a acareação entre o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa, prevista para a próxima quinta-feira, 6.

A defesa de Costa apresentou um atestado médico e, por determinação do juiz Sérgio Moro, o delator só poderá se apresentar à CPI em 15 dias, contados a partir de 30 de julho. O comunicado do juiz não informa qual é o problema de saúde de Costa.

A comissão busca agora preencher a data com um novo depoimento. Com a prisão do ex-ministro José Dirceu, membros da CPI pregam o agendamento da oitiva do delator Milton Pascowitch ou do empreiteiro da UTC Ricardo Pessoa. No entanto, os depoimentos só seriam "produtivos" para os trabalhos da CPI se o conteúdo das delações fossem divulgados oficialmente pela Justiça. Se os depoimentos dos delatores vierem à público, eles não poderão ficar calados na oitiva.

Nessa quarta-feira, 5, a CPI retoma os trabalhos com uma "maratona" de depoimentos. Estão previstos as oitivas de J.W.Kim, da Samsung Heavy Industry no Brasil, e de Shinji Tsuchiya, da Mitsui. Também vão depor quatro policiais federais: o agente Sérgio Ramalho Rezende e os delegados José Navas Júnior, Ricardo Hiroshi Ishida e Sérgio de Arruda Costa Macedo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.