Paulo Renato: Educação reduz desigualdade

A melhoria dos indicadores educacionais na década de 90, divulgada pelo IBGE, vai ajudar a diminuir a concentração de renda no País, afirma o ministro da Educação, Paulo Renato Souza. "Os indicadores sociais de hoje hão de mexer na desigualdade de amanhã", disse ele, ao participar da inauguração da nova sede do Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Educação (Consed), em Brasília.Paulo Renato comemorou o resultado do estudo Síntese de Indicadores Sociais 2000, que compara dados de 1992 e 1999. "Evoluímos, em sete anos, muito mais do que em muitas décadas", afirmou, admitindo estar surpreso com a velocidade dos avanços, em especial o aumento de matrículas escolares entre os 20% mais pobres da população, e nas zonas rurais.Por outro lado, o estudo mostrou que a redução do analfabetismo ficou praticamente estagnada na década passada, caindo 5,6 pontos porcentuais ante a queda de 5,1 pontos nos anos 80. Em 1999, 13,3% dos brasileiros acima de 15 anos não sabiam ler nem escrever, segundo o IBGE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.