Paulo Renato deseja vencer Serra e Jereissati

O ministro da Educação, Paulo Renato Souza, disse hoje, no Rio, que pretende derrotar o ministro da Saúde, José Serra, e o governador do Ceará, Tasso Jereissati (PSDB), e ser o indicado do partido para presidente. Ele afirmou também que continua na disputa.Um dia depois do fim da crise gerada pela greve dos professores universitários, Paulo Renato visitou hoje a Baixada Fluminense, com postura de candidato a presidente.Na quadra da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, o ministro fez um discurso, beijou a bandeira da agremiação, sambou com a madrinha da bateria e carregou crianças no colo."Acho que esse foi um bom ensaio", admitiu Paulo Renato, sobre a futura campanha. Oficialmente, o evento na Beija-Flor foi organizado para que o ministro distribuísse cartões magnéticos do Bolsa-Escola - o programa do governo federal que dá uma pensão a famílias carentes em troca do compromisso dos pais de manter os filhos no colégio. Mas, ao lado de tradicionais políticos da Baixada Fluminense, como os prefeitos de Duque de Caxias, José Camilo Zito (PSDB), e de Nilópolis, Farid Abraão David (que é presidente da Beija-Flor e irmão do banqueiro de bicho Anísio Abraão David), o ministro fez um discurso político, elogiando os líderes e a comunidade da Baixada Fluminense."É com muita alegria que venho até aqui, onde sou sempre muito bem recebido. Eu quero dizer que me sinto muito bem na Baixada", disse o ministro a cerca de cem mulheres e crianças que foram trazidas pelas escolas locais a convite do ministério.Depois, elogiou os colegas de mesa. "É um prazer ter a companhia de Zito. Ele, que me já me deu uma tristeza e uma alegria. Quero dizer que fiquei muito triste quando ele deixou o PSDB e muito feliz quando ele voltou", afirmou.

Agencia Estado,

29 de novembro de 2001 | 20h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.