Paulo Renato defende redução da taxa de juros

O ministro da Educação, Paulo Renato de Souza, considera que o governo deve fazer esforço para reduzir as taxas de juros. Em palestra esta manhã no Centro de Estudos de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vargas sobre "Educação e Desenvolvimento", o ministro ponderou que a redução dos juros poderá ampliar o nível de confiança na economia brasileira. Paulo Renato considera que o desenvolvimento sustentável virá baseado em dois trilhos: educação e desenvolvimento econômico. Na sua opinião, a educação é uma condição necessária a um país mais justo e o Brasil está caminhando para preencher essa condição. A outra condição é o desenvolvimento econômico. "Hoje o desenvolvimento passa necessariamente pelo aumento das exportações e pela redução dos juros", sustentou. O ministro observou que o juros já foram mais elevados em passado recente, e que um dos componentes da taxa é o risco que investidores estrangeiros vêem no Brasil. Ele vê como um bom sinal o fato de ter havido o descolamento na percepção do risco entre o Brasil da Argentina nas últimas semanas pelos investidores internacionais. "Nesse sentido de redução do risco, é preciso mostrar que o nosso ajuste fiscal é permanente e, ao reduzir os juros, diminuiremos também a dependência de financiamento interno e externo", declarou o ministro.O diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vargas, Carlos Geraldo Langoni, ex-presidente do Banco Central, observou em sua palestra que o governo Fernando Henrique Cardoso teve grandes êxitos na estabilização da economia e na reforma da educação. "Não tivemos êxito ainda na transição da estabilidade para o desenvolvimento sustentável", disse Langoni. "Mas as bases para isso estão lançadas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.