Paulo Octávio volta atrás e descarta entrevista coletiva

O governador em exercício do Distrito Federal, Paulo Octávio, não dará mais entrevista coletiva, segundo a Assessoria de Imprensa do governo do Distrito Federal. A assessoria negou também que o governador teria redigido uma carta de renúncia. Pouco antes, o assessor André Duda, da Comunicação Social do governo do DF, desceu até o salão do Palácio do Buriti, onde dezenas de jornalistas aguardavam o pronunciamento de Paulo Octávio, para anunciar que não haveria coletiva.

LEONARDO GOY, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2010 | 13h56

Até o final do dia o governo do DF divulgará uma nota para relatar o teor da conversa do governador em exercício com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrida hoje pela manhã, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Nesse encontro, segundo relato do ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, Paulo Octávio admitiu ao presidente que avalia a possibilidade de renunciar.

Assim como o governador licenciado, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) - que é acusado em inquérito de ser o mentor do esquema de corrupção local, chamado de "Mensalão do DEM", e está preso desde a semana passada pela Polícia Federal (PF) por obstrução das investigações -, Paulo Octávio é alvo de quatro pedidos de impeachment na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Porém, o pedido de abertura de inquérito contra Arruda na Casa foi aprovado hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.