Paulo Octávio deve se desfiliar do DEM até segunda

Governador em exercício do DF informou decisão ao líder do DEM no Senado, Agripino Maia

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2010 | 20h31

O governador em exercício do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM), informou na tarde desta quinta-feira, 18, ao senador Agripino Maia (DEM-RN), líder do DEM no Senado Federal, que pedirá a desfiliação da legenda até segunda-feira, 22. De acordo com um assessor de Agripino, Octávio telefonou por volta das 15h30 desta quinta-feira para o senador, anunciando que iria renunciar ao cargo.

 

Veja também:

linkPaulo Octávio decide continuar no governo do DF

Às 17 horas, Octávio telefonou novamente para Agripino, que visita as suas bases eleitorais no Rio Grande do Norte, e informou que não renunciaria mais. No mesmo telefonema, o governador assegurou ao senador que pedirá a desfiliação do partido até segunda-feira.

A cúpula do DEM havia marcado para terça-feira reunião para discutir o futuro de Paulo Octávio no partido. Na ocasião, o senador Demóstenes Torres (GO) apresentaria o pedido de expulsão do governador em exercício. No documento, o senador pediria a expulsão em razão da suposta participação de Paulo Octávio no esquema de pagamento de propinas que ficou conhecido como mensalão do DEM.

Em nota divulgada à imprensa na tarde de hoje, o DEM defendeu o afastamento de Paulo Octávio do governo do DF e afirmou que a decisão do governador de se manter no cargo, anunciada hoje, dificultará sua situação dentro do partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.