Paulo Bernardo afirma que solução para o Correio é 'muito mais simples'

Ministro atribuiu problemas de falta de coesão à antiga diretoria e afirmou que 'nem todos remavam para o mesmo lado'

Leonencio Nossa e Lisandra Paraguassu, de O Estado de S.Paulo,

07 de janeiro de 2011 | 14h05

BRASÍLIA - O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo disse nesta sexta-feira, 7, que a situação da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) é muito mais simples para resolver. "Com toda franqueza, o Correio é muito mais simples para resolver. Havia um problema de coesão na diretoria, nem todos remavam para o mesmo lado", afirmou, referindo-se à diretoria anterior.

 

Ele minimizou as pressões do PMDB, que logo no início do governo Dilma demonstrou insatisfação com a perda de espaço na ECT. "Eu nem estou discutindo isso. Recebi uma orientação para montar uma diretoria técnica e fui atrás de currículos", afirmou. Bernardo defendeu a composição da nova diretoria. "Não estamos discutindo a questão como tema de partidos. Fizemos uma diretoria técnica, forte e coesa" afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
CorreiosPaulo Bernardoministrosimples

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.