Paulinho vota sob forte boca-de-urna em SP

O candidato do PDT à Prefeitura de São Paulo Paulo Pereira da Silva, votou às 9h15 no Colégio Professor Edgard Pimentel Resende na Brasilândia, zona norte da cidade. Chegou acompanhado da mulher Elza e de assessores e seguiu para a 71.ª seção zona 376, onde foi recepcionado por militantes, gritos de guerra e rojões. Ao ser questionado sobre a lei eleitoral que proíbe boca-de-urna próxima a locais de votação, disse que toda movimentação deve ter sido arranjada por algum vereador do partido, pois ele não havia promovido nada. Logo após o voto, Paulinho disse que esperaria até o fim de apuração para saber a quantidade de votos que recebeu e só então conversaria com Serra e Marta para decidir se apoiará algum dos dois candidatos no segundo turno. "Apóio quem estiver de acordo com nossas propostas para a cidade e assumir o compromisso de criar centros de solidariedade na periferia, tiver um grande programa de moradia popular e der transporte ao desempregado. De Brasilândia, Paulinho seguiu em carreata para as proximidades da Escola Estadual Professor Carlos Ayres no Grajaú na zona sul. A poucos metros do local, parou para tomar café com leite e comer pastel, tirou fotos com eleitores, cumprimentou pedestres. Às 11h30 partiu para outro compromisso em Sapopemba, na zona leste. No meio do caminho, cansado, acabou mudando de idéia e resolveu ir para a sede da Força Sindical onde passaria a tarde acompanhando a votação. À noite, o candidato tem entrevistas agendadas nas televisões Bandeirantes, Cultura e Rede TV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.