Paulinho se licencia da Força para tentar reeleição

Quem assume seu lugar na liderança da Força é Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes

AE, Agência Estado

02 de junho de 2010 | 16h33

O deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) pediu licença do cargo de presidente da Força Sindical para tentar a reeleição à Câmara.

No lugar de Paulinho assumiu nesta quarta-feira, 2, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, Miguel Torres, cujo nome foi aprovado pela diretoria executiva da central em reunião realizada ontem. Antes de assumir o novo cargo, Torres estava na vice presidência da central sindical.             

 

Relembre

 

Conclat - Na última terça-feira, 1, cinco centrais participaram da Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), realizada em São Paulo, no estadio do Pacaembu. O evento foi liderado por Paulinho que, durante discurso, disse que eventou custou cerca de R$ 800 mil arrecadados pelo imposto sindical.

 

Dos que discursaram, Paulinho da Força se considerou ´o mais manso´, já que não fez críticas diretas ao pré-candidato tucano, José Serra, chamando-o todo o tempo de 'sujeito' e ressaltando que, se ele for eleito, 'tirará os direitos dos trabalhadores'.

 

Multa - Durante assembleia da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), em São Paulo, Paulinho da Força aproveitou o microfone para distribuir ataques ao pré-candidato José Serra. "Porque se a gente não falar fica aí esse sujeito tentando ganhar a eleição".

 

O deputado também falou de suas multas, que já chegam nas quatro. "Por quê? Porque estamos falando a verdade. Eu acho que quando nós não temos Rede Globo, TV Record, meios de comunicação, somos nós que temos que falar", criticou. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.