Patrus: Lula acertou ao adiar projeto de leis sociais

O ex-ministro do Desenvolvimento Social e candidato a vice-governador de Minas Gerais, Patrus Ananias (PT), afirmou hoje que concorda com a decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de deixar para o próximo governo a tarefa de encaminhar ao Congresso o projeto da Consolidação das Leis Sociais (CLS). Um dos formuladores da proposta de se estabelecer uma "proteção jurídica" para os programas sociais, entre eles o Bolsa-Família, Patrus já alegou risco de retrocesso na área caso a oposição vença a eleição.

EDUARDO KATTAH, Agência Estado

13 de agosto de 2010 | 10h43

Segundo ele, a decisão de Lula foi tomada há mais tempo. "Me lembro ainda como ministro que o presidente Lula me disse que preferia aguardar para o próximo presidente, que nós esperamos que seja a presidente Dilma Rousseff, para que esse assunto fosse tratado", disse Patrus no início da madrugada, após acompanhar o debate entre os candidatos ao governo mineiro na TV Bandeirantes.

"Ele entendeu, o presidente, com a sua sensibilidade política, que encaminhar um projeto como esse num período eleitoral poderia ser mal compreendido e colocar temas relevantes para o futuro do Brasil numa discussão político eleitoral. Então, o assunto está posto", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.