Patrus descarta polêmica por Bolsa-Família maior

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, confia que a oposição não fará "disputa política" tendo como pano de fundo o reajuste do valor do benefício do Bolsa-Família. Para Patrus, o programa de transferência de renda já conquistou o reconhecimento dos opositores do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele não acha que a medida possa ser tachada de ação eleitoreira. "Não acredito que alguém vai fazer disputa política em torno de um benefício que está assegurando às pessoas, entre outros direitos, o direito sagrado, o direito fundamental à alimentação, ao pão nosso de cada dia", disse o ministro, anteontem, em evento na prefeitura da capital mineira.Patrus disse que soube pela imprensa que Lula havia decidido reajustar o benefício este ano. Ontem a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, confirmou que o governo pretende tomar a medida ainda neste ano.O programa atende 11,3 milhões de famílias. Atualmente, elas recebem de R$ 20 a R$ 182 por mês, de acordo com o número de filhos. O último reajuste, de 8%, foi em julho de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.