Patrus critica FHC para não comentar denúncias

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, evitou hoje comentar as denúncias contra os presidentes do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, e do Banco do Brasil (BB), Cássio Casseb. Perguntado sobre as reportagens publicadas no último final de semana pelas revistas Veja e Isto É, Patrus disse que preferia ver o ?lado positivo? do governo. ?Eu vejo o Brasil crescendo, retomando o crescimento depois de alguns anos, depois do marasmo que caracterizou o governo Fernando Henrique Cardoso?. Para o ministro, as denúncias fazem parte do processo democrático. ?Prefiro me manifestar sobre as questões quando elas estão devidamente processadas?, afirmou. ?Todo o meu tempo, todas as minhas energias, estão dedicadas ao meu trabalho?, desconversou. Patrus participou do lançamento, em Minas Gerais, do programa ?Cozinha Brasil ? Alimentação Inteligente?, em uma escola do Sesi, na zona nordeste de Belo Horizonte. O objetivo do programa é disseminar e estimular técnicas de produção e preparação de alimentos com baixo custo e alto valor nutricional. O ministro garantiu que até o final do ano o programa Bolsa-Família estará atendendo a 6,5 milhões de famílias. ?Eu penso que nós estamos cumprindo os nossos objetivos e as nossas metas?, disse. ?Nós ultrapassamos a casa das 4 milhões de famílias, portanto, 20 milhões de pessoas, e vamos cumprir as determinações do presidente de chegarmos a 6,5 milhões?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.