Patrus Ananias quer mais empenho de Lula em Minas

A virada do candidato de Aécio Neves (PSDB) ao governo de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), segundo a última pesquisa Ibope/Estadão/Rede Globo, acendeu o sinal amarelo no comando da campanha petista. O candidato a vice-governador Patrus Ananias chegou hoje à noite à sede do PT em Brasília para uma reunião com o presidente da sigla, José Eduardo Dutra. Ex-ministro do Desenvolvimento Social e coordenador do Programa Bolsa Família, carro-chefe da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência, Patrus disse que vai pedir mais empenho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha mineira.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

31 de agosto de 2010 | 20h00

Desde o início da campanha eleitoral, Lula e Dilma participaram de apenas um comício no Estado, em Belo Horizonte, no dia 10 de agosto. Agora, Patrus tenta confirmar um retorno da dupla à capital mineira no próximo dia 9 de setembro. O levantamento do Ibope divulgado no sábado apontou empate técnico entre Anastasia e Hélio Costa (PMDB) na disputa ao governo estadual - Anastasia tem 35% e Hélio Costa, 33%. Na sondagem anterior, o peemedebista tinha 11 pontos de vantagem sobre o tucano - 38% contra 27%.

"Minas é prioridade para o presidente Lula, é o segundo maior colégio eleitoral do País", lembrou Patrus. O candidato manifestou a preocupação de mostrar ao eleitorado mineiro que ele e Hélio Costa formam a chapa que traduz o projeto de Lula e Dilma no Estado. "Somos dois ex-ministros do Lula", ressaltou.

Na reunião, Patrus vai pedir a Dutra a integração entre a campanha nacional e a estadual em Minas Gerais por meio da maior participação de Lula e Dilma e da ajuda da militância. Segundo ele, é preciso evidenciar a diferença ao eleitorado mineiro entre o "projeto democrático e popular", que prioriza as políticas sociais, e o "projeto neoliberal" representado por Aécio.

O engajamento que Patrus pede a Lula na campanha mineira o presidente já prometeu ao candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante. Segundo o petista, Lula participará de comícios no Estado em todos os fins de semana até o dia da eleição, a fim de tentar promover um segundo turno entre Mercadante e o tucano Geraldo Alckmin, que lidera as pesquisas com mais de 50% das intenções de voto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.