Patrus Ananias nega uso eleitoral do Bolsa Família

Ministro rebateu críticas ao projeto do governo federal em entrevista no programa Bom Dia, Ministro

Agência Brasil,

10 de março de 2010 | 10h57

O ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, voltou nesta quarta-feira, 10, a rebater críticas que apontam o programa Bolsa Família como um instrumento eleitoral para ganhar votos este ano.

 

Patrus afirmou que o benefício é concedido de acordo com normas legais e destacou que o programa "tem retirado do cadastro famílias que não atualizaram seus dados".

 

"Com isso provamos que o Bolsa Família é um programa suprapartidário, transparente, republicano, reconhecido não só no Brasil, mas também internacionalmente", acrescentou, em entrevista a emissoras de rádio durante o programa Bom Dia, Ministro.

 

Ele ressaltou que o Bolsa Família prioriza o repasse de dinheiro a mulheres responsáveis pelos lares, que representam 90% dos beneficiários.

 

Segundo Patrus, atualmente, o programa atende 12,5 milhões de famílias, ou 50 milhões de pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.