Patriota vê Brasil reconhecido pelos EUA

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, celebrou o estudo publicado nesta semana pelo Council on Foreign Relations (CFR), um dos mais importantes centros de política externa do mundo, defendendo que os Estados Unidos tratem o Brasil como uma potência global, e não apenas regional.

AE, Agência Estado

14 de julho de 2011 | 11h56

"Este relatório é um reconhecimento do papel crescente que o Brasil vem desempenhando no cenário internacional e presta uma contribuição construtiva para as relações do País com os Estados Unidos", disse Patriota ontem, no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), pouco depois de participar de reunião para a incorporação do Sudão do Sul como membro das Nações Unidas.

Com o título EUA Devem Desenvolver uma Parceria Madura e Forte com o Brasil, o estudo, realizado por uma força-tarefa de 30 especialistas de diferentes áreas e correntes políticas, defende que os EUA apoiem a candidatura do Brasil a uma vaga de membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, eliminem a obrigatoriedade dos vistos para brasileiros entrarem no território americano e suspendam a tarifa ao etanol, entre outras medidas que tratem o Brasil como um ator global. "A força-tarefa recomenda que a administração Obama apoie o Brasil como membro do Conselho de Segurança. Acreditamos que o Brasil, com esta cadeira, teria uma maior responsabilidade diante dos principais temas internacionais", afirma o documento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilEUArelaçõespatriota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.