Patriota nega desconforto com TCU por questão salarial

A decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) de ordenar, ao Itamaraty, a limitação dos salários pagos a diplomatas e outros servidores no exterior ao teto do funcionalismo público (R$ 28 mil) não causa desconforto ao Ministério da Relações Exteriores, na avaliação do titular da Pasta, Antonio Patriota.

VINICIUS NEDER, Agência Estado

08 de agosto de 2013 | 17h25

"Pelo contrário, nos dá segurança de que agora estaremos dentro das melhores práticas, segundo o carimbo do TCU", afirmou Patriota nesta quinta-feira, após evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

Segundo Patriota, a decisão do TCU "afetará 12 ou 13 salários apenas". "Inclusive de vários diplomatas que estão prestes a se aposentar", completou Patriota, para quem a determinação faz parte de um diálogo entre o ministério e o tribunal sobre práticas administrativas. "O Itamaraty quer ser campeão da transparência, da implementação da Lei de Acesso da Informação e das boas práticas governamentais", reforçou.

Tudo o que sabemos sobre:
TCUItamaratyAntonio Patriota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.