Patriota diz que Global Entry está sendo discutida

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta terça-feira que as discussões entre Brasil e Estados Unidos sobre o programa Global Entry têm apresentado resultados satisfatórios, com a possibilidade de algum resultado ser noticiado nos próximos meses.

RAFAEL MORAES MOURA E RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 15h33

Em março, os governos do Brasil e dos Estados Unidos acertaram a participação inicial de 1.500 viajantes frequentes no programa Global Entry, que permite a entrada em território norte-americano sem passar pelas filas de imigração.

A facilidade não vai beneficiar turistas eventuais, apenas os brasileiros que visitam os EUA com maior assiduidade, na maioria das vezes em viagens a trabalho. Na época, não havia previsão para o início da experiência com brasileiros, porque ainda há pontos em negociação entre o Itamaraty e o Departamento de Estado, equivalente ao Ministério de Relações Exteriores norte-americano.

"Uma declaração poderá ser acordada em breve, no mês de setembro, e prepararia o texto a ser divulgado durante visita presidencial (de Dilma aos EUA, em 23 de outubro). Consideramos que os progressos têm sido satisfatórios e poderemos ter algum resultado noticiado", afirmou nesta terça Patriota, ao lado do secretário de Estado dos EUA, John Kerry, que visita o País.

"A questão da eliminação do requerimento do visto é outra questão, mais complexa, que exigirá mais tempo para ser debatida", afirmou Patriota.

Empenho

Segundo Kerry, o governo dos EUA está empenhado em "apressar ao máximo" o processo de solicitação do visto por parte dos brasileiros. "Nos orgulhamos de ter dinamizado nossas operações. Queremos que mais brasileiros venham aos EUA, em viagens a negócio, turismo, estudo, visitar amigos, queremos facilitar esse processo", afirmou o secretário.

"Vamos abrir novos consulados em Belo Horizonte e Porto Alegre, estamos avançando ao máximo possível pra facilitar a questão do visto", destacou.

O secretário comentou ainda que a Casa Branca quer o maior número possível de turistas brasileiros e espera que "vamos chegar a um dia" de isenção de visto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.