Patriota diz confiar no sucesso de resgate de brasileiros na Líbia

Chanceler brasileiro fez declarações juntamente com a colega americana, Hillary Clinton, em Washington.

Alessandra Corrêa, BBC

23 de fevereiro de 2011 | 18h45

Segundo o Itamaraty, há entre 500 e 600 brasileiros na Líbia

O ministro brasileiro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta quarta-feira estar confiante de que os esforços para resgatar os brasileiros na Líbia serão bem-sucedidos.

"Sem dar mais detalhes, eu estou muito confiante de que os nossos esforços para retirar do país aqueles que desejam partir serão bem-sucedidos", disse Patriota, após um encontro com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, em Washington.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, P.J. Crowley, disse que os Estados Unidos colocaram à disposição de outros países uma embarcação que está retirando trabalhadores americanos da Líbia.

Hillary afirmou que o governo americano está encorajando todos os americanos a deixar o país no norte da África.

Debandada

Enquanto os confrontos entre manifestantes e forças leais ao governo líbio se acirram, governos de vários países estão enviando balsas, aviões e navios para resgatar seus cidadãos.

Na terça-feira, cinco brasileiros foram retirados do país norte-africano em um avião da Força Aérea portuguesa. Já o Itamaraty informa que negocia o resgate, entre quinta e sexta-feira, de 183 brasileiros que estão em Benghazi.

A retirada será feita por um navio contratado pela construtora Queiroz Galvão. O destino da embarcação deve ser a Grécia ou Malta.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, há entre 500 e 600 brasileiros na Líbia, a maioria residentes. Todos estão bem, de acordo com o Itamaraty.

Nesta quarta-feira, duas balsas da Turquia conseguiram retirar cerca de 3 mil de seus cidadãos de Benghazi, onde vive um grande número de turcos que trabalham para empresas de construção. As embarcações contaram com a escolta de uma fragata.

Holanda, França, Itália e Grécia estão organizando voos de evacuação, mas alguns deles ainda não receberam autorização para pouso. A Grã-Bretanha está planejando fretar um avião para seus cidadãos, além de posicionar um navio de guerra próximo à costa da Líbia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.