Patriota discute visita de Dilma com chanceler argentino

Ministro reuniu-se com Héctor Timerman para preparar agenda da presidente brasileira, que irá ao país no final do mês

Marina Guimarães, da Agência Estado ,

10 de janeiro de 2011 | 14h45

BRASÍLIA - O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, reuniu-se com o colega argentino, Héctor Timerman, na manhã desta segunda-feira, 10, para preparar a agenda da visita que a presidente Dilma Rousseff vai fazer à Argentina no final do mês. Trata-se da primeira viagem ao exterior, depois da presidente e de Patriota. Os dois chanceleres passaram mais de duas horas reunidos na sede do Ministério de Relações Exteriores do país vizinho, onde discutiram também sobre as agendas bilateral, multilateral e regional, segundo informações do Palácio San Martin.

 

Na semana passada, ao ser consultado sobre as expectativas para o encontro, Timerman comentou que "a reunião com Patriota envolve muito mais que a visita de Dilma, porque Argentina tem com o Brasil um projeto de união que abarca todos os aspectos da vida do ser humano e dos povos, não só uma integração bilateral". Na ocasião, Timerman disse ainda que "Dilma será recebida como uma amiga da Argentina, uma verdadeira representante do povo brasileiro, uma verdadeira dirigente da América Latina". "Com Dilma, vamos trabalhar como fizemos com Lula. O caminho iniciado em 2003 por Néstor Kirchner e Lula é sem retorno, é o modelo de integração que queremos para a Argentina", ressaltou Timerman.

 

A visita da presidente à Argentina deve ser realizada entre os dias 31 de janeiro e 2 de fevereiro, mas a data definitiva está sendo acertada nesta segunda pelos chanceleres. Após o primeiro encontro entre Patriota e Timerman, o chanceler brasileiro visitou os ministros de Planejamento, Julio De Vido, e de Economia, Amado Boudou. Na agenda dele, está previsto também um almoço oferecido por Timerman, no Palácio San Martin, e uma reunião com a presidente Cristina Kirchner, as 19 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.