DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Pastor hipster e hortênsias na boda do ‘03’

Casamento de Eduardo Bolsonaro e Heloísa Wolf vai reunir 150 convidados em buffet no Rio

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2019 | 05h00

RIO - Com a bênção de um pastor hipster e emoldurados pela paisagem onde se destacam o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e sua noiva, Heloísa Wolf, vão se casar neste sábado, 25, no Rio. A cerimônia, marcada para o horário do pôr do sol, acontecerá ao ar livre, nos jardins de uma casa de festas em Santa Teresa, historicamente, um reduto da esquerda.

O presidente Jair Bolsonaro estará presente na união do filho “03”, como gosta de falar. A primeira-dama Michelle Bolsonaro será uma das oito madrinhas dos noivos. Haverá ainda três damas de honra no evento para seletos 150 convidados, entre parentes e amigos.

O Estado apurou que um orçamento para evento semelhante, pedido à mesma casa de festas, incluindo buffet, decoração e DJ, ficou em aproximadamente R$ 100 mil. Mas esse valor pode variar dependendo do tipo de decoração escolhida, da comida e da bebida. O aluguel apenas do espaço (sem contar outras despesas) custa cerca de R$ 25 mil. No mês de maio, o preço é mais alto, por ser tradicionalmente o “mês das noivas”.

Presente no vestido das madrinhas, na roupa dos padrinhos e também no terno do noivo, a cor predominante da festa será o azul-claro. Combinará com as hortênsias, as flores pedidas pela noiva, que é gaúcha de Novo Hamburgo.

“A decoração será bem intimista para dar um clima romântico e aconchegante”, contou a cerimonialista Márcia Santiago, que organiza o evento. “As cores serão tons pastel e os arranjos serão um mix de flores nobres com ênfase nas hortênsias, um pedido da noiva.”

Eduardo escolheu um terno com colete prata e sapatos marinho, tudo feito sob medida pelo estilista Eduardo Guinle. Sobre o vestido da noiva, só se sabe que é assinado pela estilista Marie Lafayette e faz o estilo “romântico” – o mesmo visto no ensaio fotográfico feito pelos noivos na Praia da Reserva há cerca de um mês.

Heloísa, de 27 anos, é formada em psicologia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em São Leopoldo, e trabalha como “coach” de carreira. Seus hobbies são cozinhar e praticar tiro. Ela e Eduardo se conheceram no réveillon de 2016 em Santa Catarina. O pedido de casamento foi feito em dezembro do ano passado, durante a Cúpula Conservadora das Américas, um encontro de ativistas de direita realizado em Foz do Iguaçu, no Paraná.

O casamento será celebrado pelo pastor Pedro Litwinczuk, de 53 anos, da Igreja Comunidade Batista do Rio, que fica num shopping da Barra da Tijuca. Conhecido entre os fiéis como pastor Pedrão, ele é “descontraído na forma”, em suas próprias palavras. Uma barba farta e bem cuidada e a cabeça raspada dão o toque hipster ao visual do religioso, que gosta de vestir calça jeans e camiseta.

“Pastor geralmente é mais mauricinho, eu sou mais largado mesmo”, disse. “Tenho horror de crente chato.” Apesar das opiniões consideradas mais modernas pelos evangélicos, ele se define como conservador e eleitor dos Bolsonaro. “Votei neles, sim, porque essa questão de valores da família, segurança pública e combate à corrupção são coisas de que o Brasil está precisando.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.