Pastor critica projeto de lei

Nem mesmo os rapapés e expressões religiosas usados no encontro do PT para conquistar os votos dos evangélicos impediram que pastores protestassem.Logo na abertura do ato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu uma carta do pastor Valdo Romão, da Convenção Batista de São Paulo, condenando o projeto de lei contra a homofobia. A proposta define como criminosa a crítica ao comportamento homossexual."Nossa manifestação tem como objetivo evitar que sua história como presidente de todos os brasileiros seja maculada", diz o documento.Para Levi Monteiro, do Conselho de Pastores da Zona Sul, Marta Suplicy deveria esquecer o projeto da união entre homossexuais. "Ela perdeu votos por isso.Se o projeto for aprovado, seremos obrigados a efetuar tal casamento em nossos templos, o que contradiz a Bíblia", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.