Passeio por ouvido gigante ensina a cuidar da audição

Os números chegam a ser assustadores. Quase 35% das crianças em idade escolar apresentam problemas de audição ? sendo que um terço delas têm perda auditiva irreversível. O que mais preocupa os especialistas é que a imensa maioria, cerca de 92%, nem sabe que tem algum tipo de problema. Para tentar mudar esse panorama, que só piora a cada ano, a Fundação Otorrinolaringologia e o Sesc Santo Amaro, na zona Sul de São Paulo, realizam até amanhã um evento para combater a surdez infantil. Mas apesar de todos esses números, o campanha não tem nada de alarmista ou assustadora. A entidade pretende conscientizar pais e filhos sobre a importância do diagnóstico precoce da surdez infantil por meio de animadas brincadeiras. Uma delas é um passeio interativo por uma mega-orelha de 1,8 metros ? repleta de estruturas nervosas, ossos, músculos, pêlos e até cera de ouvido. ?Por meio das atividades, vamos falar dos cuidados com o ouvido que podem reduzir e até reverter a perda auditiva?, diz Stella Maris Aron, diretora superintendente da fundação, que no ano passado promoveu a mesma campanha em estações do metrô. ?O simples ato de limpar a orelha com o cotonete, por exemplo, pode perfurar o tímpano e causar uma infecção. Por isso queremos informar e conscientizar a população.? Além de diversas brincadeiras em grupo e com objetos barulhentos, o evento terá peças de teatro que motivarão a criançada a cuidar corretamente de suas orelhas. Mas atividade que deverá ser mais procurada é o tour de 15 minutos por uma orelha gigante, onde os guias explicarão a importância de cada estrutura do ouvido. AvaliaçãoAs crianças que participarem do evento também serão avaliadas por uma equipe de otorrinolaringologistas e fonoaudiólogos, que realizarão um exame chamado audiometria. Os adultos e idosos que quiserem testar seus ouvidos também serão examinados e terão à disposição várias palestras educativas. ?Não queremos ser alarmistas ou colocar pânico na população?, diz Aron. ?Só queremos mostrar que a surdez não é um estigma, a pessoa pode ser reabilitada. A nossa principal inteção é desmistificar o deficiente auditivo.? Campanha Contra a Surdez Infantil - Hoje e amanhã, das 10h às 17h, no Sesc Santo Amaro (Rua Amador Bueno, 505, tel.: 5525-1851). Entrada gratuita

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.