ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

'Passei a ser ameaçado pelo líder do meu partido', diz deputado trocado na CCJ

Delegado Waldir foi um dos quatro deputados do PR que foram trocados na composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara

Rafael Moraes Moura e Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2017 | 00h08

BRASÍLIA - Em uma fala contundente na noite desta quarta-feira, 12, o deputado federal Delegado Waldir (PR-GO) acusou o líder do PR, deputado José Alves Rocha (BA), de ameaçá-lo depois de ele se posicionar a favor da admissão da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva.

AO VIVO Veja a sessão da CCJ

Delegado Waldir foi um dos quatro deputados do PR que foram trocados na composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, em meio à discussão sobre o aval da Casa para que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente. 

O deputado recorreu ao STF para reverter a troca, mas seu mandado de segurança foi rejeitado pela presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

“Muitos parlamentares estão de joelhos, rastejando para essa organização criminosa que está no Palácio do Planalto, em troca do quê? De emendas, de cargos”, criticou Delegado Waldir.

“Essa semana, logo depois do meu posicionamento nessa Casa, passei a ser ameaçado, primeiro, pelo líder do meu partido, que queria tomar providência em relação à minha conduta. Não vão me calar”, disse o parlamentar.

Delegado Waldir também não poupou o Palácio do Planalto de críticas. “Esses bandidos do governo não me conhecem, essa organização criminosa continua ameaçando agora os parlamentares de todos os partidos: quem não fechar questão na votação em plenário vai sofrer consequências, vai perder emendas, vai ser expulso do partido. Esses partidos vão se esvaziar”, prosseguiu.

Procurado pela reportagem, o parlamentar afirmou que entre as ameaças que vêm sofrendo estão a possibilidade de ser alvo do Conselho de Ética da Câmara e de ser expulso do PR. “E alguns parlamentares me recomendaram andar com mais segurança”, completou Delegado Waldir.

'Irresponsável'. O líder do PR, deputado José Alves Rocha (BA), classificou como “irresponsável” a declaração de Delegado Waldir. “Ameaçado como? Ele é um maluco. Não foi só ele (a ser trocado na CCJ), foram retirados quatro (deputados), porque iam votar contra a recomendação partidária. Isso é fato notório. A liderança tanto indica como pode substituir”, disse José Alves Rocha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.