Passagem de mãe de Ciro não foi paga pela Câmara, diz TAM

Negando uso de cota parlamentar, empresa aérea afirma que houve 'inversão entre documentos' em voo para NY

19 de maio de 2009 | 19h12

A companhia aérea TAM informou em nota nesta terça-feira, 19, que houve uma "inversão entre documentos" em um voo para Nova York no qual o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) e sua mãe embarcaram, em Fortaleza. Dessa forma, a empresa nega que as passagens teriam sido emitidas com uso da cota parlamentar. A denúncia veio à tona na segunda-feira, 18. Veja o comunicado da TAM na íntegra:

 

"A TAM esclarece que houve uma inversão entre os documentos de crédito particulares (pessoa física) da família do deputado federal Ciro Gomes e aqueles emitidos com recursos da sua cota parlamentar de passagens. O deputado e sua mãe, Maria José Gomes, embarcariam no mesmo voo, na mesma data, para Nova York. No momento da emissão dos bilhetes, a loja da companhia em Fortaleza trocou, inadvertidamente, os documentos de crédito, emitindo as passagens de Ciro Gomes com créditos particulares da família e os bilhetes de Maria José Gomes com documentos de crédito oriundos da cota parlamentar.

 

A TAM, no intuito de esclarecer o fato e garantir a integridade das informações prestadas, informa que enviará ofício ao Ministério Público Federal - autoridade que requisitou à companhia as informações relativas às passagens emitidas com uso da cota parlamentar dos deputados federais - com as devidas explicações.

 

TAM Linhas Aéreas"

Tudo o que sabemos sobre:
caso das passagensCiro Gomes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.