Passageiros resgatados na Antártida aguardam avião para Chile

Fortes ventos e baixa visibilidadeimpossibilitaram, neste sábado, o transporte dos passageirosresgatados de um navio naufragado na Antártida na sexta-feira,um dia após a embarcação ter ficado presa no gelo e afundado. Mais de 150 de pessoas, entre tripulação e passageiros,foram resgatadas ilesas na sexta-feira nas calmas águas da IlhaKing George, na Antártida. Elas foram transportadas à base chilena Eduardo Frei nocontinente de gelo e deveriam ter sido levadas a Punta Arenas,Chile. Mas os ventos ganharam força e diminuíram avisibilidade, impossibilitando o transporte. "Estamos esperando pelas certas condições meteorológicaspara sermos capazes de transportar estas pessoas a PuntaArenas", disse à Reuters um porta-voz da Força Aérea Chilena. "As condições têm sido muito ruins desde ontem para estetipo de operação", afirmou o porta-voz, acrescentando que oclima poderia permanecer assim durante o resto do dia. Quando o tempo melhorar, as 150 pessoas serão transportadaspor uma aeronave C130 Hércules. O porta-voz disse ainda que os passageiros --norte-americanos, britânicos, canadenses, australianos,holandeses, japoneses, argentinos, e outros de diversasnacionalidades -- foram alimentados, abrigados e receberamcuidados médicos. Os resgatados viajavam no navio de cruzeiro Explorer quandoa embarcação chocou-se com um iceberg, segundo relatos. Umaembarcação norueguesa de passageiros presente na área retirouos ocupantes em botes salva-vidas. O Explorer costuma realizar viagens de duas semanas pelaregião da Antártida, ao preço de 8.000 dólares por cabine.Menor que a maioria dos navios de cruzeiro, essa embarcaçãoconsegue entrar em baías mais estreitas do continente gelado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.